CANTINHO DOS DESABAFOS

Este Blog destina-se a distrair-me nos meus momentos de algum lazer... Como sabem, deixei de postar há mais um menos um ano, pois a minha vida não me permitia, mas agora que estou mais livre, não deixarei de alimentar o Blog e comentar nos Blogs que se dignarem visitar-me. Estou muito sozinha e gostaria que me visitassem! Sejam bem vindos!Vou fazer o possível para também vos visitar! Muito obrigada a todos os que por aqui passarem.

sábado, fevereiro 03, 2007



Aprendendo nas quedas

Por que será que nos lamentamos tanto quando nos decepcionamos, perdemos e erramos?
O mundo não acaba quando nos enganamos; ele muda, talvez, de direção. Mas precisamos tirar partido dos nossos erros.
Por que tudo teria que ser correto, coerente, sem falhas?
As quedas fazem parte da vida e do nosso aprendizado dela.
Que dói, dói. Ah! Isso não posso negar! Dói no orgulho, principalmente. E quanto mais gente envolvida, mais nosso orgulho dói. Portanto, o humilhante não é cair, mas permanecer no chão enquanto a vida continua seu curso.
O problema é que julgamos o mundo segundo nossa própria maneira de olhar e nos esquecemos que existem milhões e milhões de olhares diferentes do nosso.
Mas não está obrigatoriamente errado quem pensa diferente da gente só porque pensa diferente. E nem obrigatoriamente certo. Todo mundo é livre de ver e tirar suas próprias conclusões sobre a vida e sobre o mundo. Às vezes acertamos, outras erramos. E somos normais assim.
Então, numa discussão, numa briga, páre um segundo e pense: "e se eu estiver errado?" É uma possibilidade na qual raramente queremos pensar.
Nosso "eu" nos cega muitas vezes. Nosso ciúme, nosso orgulho e até, por que não, nosso amor. Não vemos o lado do outro e nem queremos ver. E somos assim, muitas vezes injustos tanto com o outro quanto com a gente mesmo, já que nos recusamos a oportunidade de aprender alguma coisa com alguém.
E é por que tanta gente se mantém nessa posição que existem desavenças, guerras, separações. Ninguém cede e as pessoas acabam ficando sozinhas.
E de que adianta ter sempre razão, saber de tudo, se no fim o que nos resta é a solidão? Vida é partilha. E não há partilha sem humildade, sem generosidade, sem amor no coração.
Na escola, só aprendemos porque somos conscientes de que estamos lá porque não sabemos ainda; na vida é exatamente a mesma coisa. Se nos fecharmos, se fecharmos nossa alma e nosso coração, nada vai entrar. E será que conseguiremos nos bastar a nós mesmos? Eu duvido.
Não andamos em cordas bambas o tempo todo, mas às vezes é o único meio de atravessar. Somos bem mais resistentes do que julgamos; a própria vida nos ensina a sobreviver, viver sobre tudo e sobretudo.
Nunca duvide do seu poder de sobrevivência! Se você duvida, cai. Aprenda com o apóstolo Pedro que, enquanto acreditou, andou sobre o mar, mas começou a afundar quando sentiu medo.
Então, afundar ou andar sobre as águas? Depende de nós, depende de cada um em particular. Podemos nos unir em força na oração para ajudar alguém, mas só esse alguém pode decidir a ter fé, força e coragem para continuar essa maravilhosa jornada da vida.


Letícia Thompson

1 Comentários:

Às 12:58 da tarde , Anonymous eurico disse...

...Estou impressionado com o que li...Sinto enormes semelhanças....Sou "novato" nisto da Net. Cheguei até o teo blog, porque em situação de enorme tristeza, resolvi escrever #sinto-me só.Procuro companheira".âo sei se é o acaso ou tão só uma mera coincidência. Nem sei seo que te estou a escrever vai chegar até ti, mas não me perguntes porquê, porque não sei, estou aqui a tentar comunicar contigo para te dizer que a ser verdade o que dizes nos teus desabafos e nas entrelinhas que eiu leio sobre ti, que era giro podermos conhecer-nos. Nunca o fiz, mas vou arriscar. O meu endereço electrónici é eurigab@gmail.com Gostava que me contactasses. Talvez tenha muito para falar contigo. Até lá um beijão do tamanho do farol que ilumina essa vista linda de tua casa.

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial